Tags

, , , , ,

Jamanta é o xodó da família. Nossa cadelinha que apesar de não ter completado ainda dois anos, faz jus ao nome. Grandona e meio desengonçada ela cativou toda a família e os amigos da famíliaDSC_0154. A princípio não foi assim tão bem recebida, e chegou na família por um acaso. O Asaph Muradas, amigo do meu genro, a encontrou exatamente numa movimentada highway, com apenas poucas semanas de idade. Sem onde ficar, acabou sendo “hospedada” na casa de meus filhos Aline e Celídio. Com poucas semanas cativou a todos com seu jeito todo especial. Não entendo muito de “psicologia” canina, muito menos sou especialista no assunto, mas Jamanta é um animal muito especial. Passei a observa-la e confesso que aprendi importantes lições de vida com ela. Ela possui uma especial facilidade de fazer amigos, quer no reino animal, quer nas relações humanas. Pode parecer jocoso, mas tenho uma “santa” inveja do seu jeito de ser. Pode rir, eu também me pego rindo de mim mesmo, quando isso me passa pela cabeça. Gostaria de ouvi-la sobre sua facilidade em fazer amigos. Na impossibilidade deste nível de comunicação, passei a aprender com seu exemplo. Eis aqui, algumas das minhas conclusões:

1) Ela é sinceramente interessadas nas pessoas e seres vivos ao seu redor – Não importa quem seja, ou o que possa oferece-la de vantagem, Jamanta gosta de estar perto das pessoas. Quando estou cortando a grama, suado, sujo e sem nada que lhe possa ser vantajoso, ali está ela, me acompanhando todo tempo. Ela parece gostar de estar junto das pessoas, apenas por estar, sem esperar recompensas. Claro, nenhum cachorro resiste ao um “treat” ou a uma comida cheirosa. Ela, sem cerimônia, demostra seu sincero interesse neles.

2) Persistente em fazer amigos – Feisty é a nossa pequena “chihuahua long hair” de 5 anos. Ela faz jus ao seu nome. Feisty em inglês significa “enérgica, corajosa, beligerante, pronta para permanecer e lutar”. Apesar de muito queridinha de todos nós, Feisty é meio rabugenta, ranzinza, e um pouco antissocial. Observo as duas e vejo o quão Jamanta é persistente em tentar conquistar a amizade de Feisty. Todas as vezes que ela se aproxima na tentativa de brincar e se divertir, a pequena Feisty rosna, prenunciando que não está muito aberta a amizade. À despeito disto, Jamanta não desiste. Depois de quase dois anos de convivência um tanto árida, ela persiste tentando construir laços de amizade com Feisty.

3) Um especial bom humor – Todos gostamos de estar perto e de ter amigos bem humorados. O bom humor cativa e atrai boas amizades. Nossa Jamanta parece estar sempre de bem com a vida. O seu longo rabo agitando-se anuncia sua alegria todo tempo. Diariamente sou eu que abro sua “casinha” pela manhã para ela sair e fazer suas “necessidades”. Seus primeiros movimentos do dia é dar uma boa espreguiçada, com o que parece estar dando bom dia para a vida. Cada dia parece ser o melhor dia da sua vida, sempre alegre e brincalhona ela revela seu constante e incomparável bom humor.

4) Simplicidade – Seus dois brinquedos prediletos é uma bola rasgada e um skate quebrado ao meio. Ela é capaz de passar horas e horas brincando com eles. Ela não precisa de muita coisa para ter seus momentos divertidos e felizes. As vezes tenho a impressão que ela é tão simples que chega a ser simplória. Não são raras as vezes que ela é carinhosamente adjetivada de “tonga”, por muitos dos “seus amigos”. Sua simplicidade é simplesmente cativante.

A vida é uma grande ironia. Vivemos cercados de sábios e entendidos que se desdobram nas vãs tentativas de conquistar amigos, enquanto isso, Jamanta em sua simplicidade, descobriu o segredo: tudo é muito mais simples do que parece. Por isso nos disse o Mestre: “Eu te louvo, Pai, Senhor dos céus e da terra, porque escondeste estas coisas dos sábios e cultos, e as revelaste aos simples” (Mateus 11:25). Que Deus nos abençoe